Super Lovers, meu primeiro yaoi super polêmico

08:00


Título: Super Lovers スーパーラヴァーズ
Autor: Miyuki Abe
Episódios:  20
Volumes: 10 (Em andamento)
Ano mangá: 2010
Ano anime: 2016 
Gênero: Comédia, Drama, Shounen-ai, Romance, Yaoi.
Onde ler: Online / Download
Onde assistir: Online / Download

Primeiramente, para quem não sabe, yaoi é um gênero de histórias românticas entre homens. Existem, também, shounen-ai que é mais algo sutil e o lemon que é +18 (u hu hu hu). O yaoi é o meio termo entre o fofo e o pervertido? Acho que dá pra classificar assim, haha. Só que é mais voltado para mulheres (pelo drama e romance fofo), mas nada impede de homens assistirem.

Apesar do título, Super Lovers é classificado como shounen-ai, eu não sabia dessa diferença na época (não faz tanto tempo). O importante é que foi o primeiro anime de relacionamento homoafetivo que eu vi. Aulinha básica dada, vamos ao anime.

A história começa quando Haru vai visitar sua mãe no Canadá e descobre que ela havia adotado uma criança selvagem, e que ele, deveria tentar civilizar o menino. Ren, seu irmão adotado, não é muito fácil de lidar, mas aos poucos, Haru vai ganhando um espaço no coração do pequeno selvagem e é quando surge a promessa de viverem juntos no Japão. No entanto, Haru se envolve num acidente e perde a memória, esquecendo-se da promessa que fizera ao garoto, e cinco anos depois, Ren aparece para cumprir a promessa.


 

A parte polêmica de Super Lovers está no relacionamento do Ren e o Haru, na diferença de idades entre os personagens. Mas é o seguinte, pelo meu ponto de vista, o relacionamento deles só começa a se desenvolver depois do Ren ir para o Japão, aos 17 anos de idade. Ainda é menor de idade? Ééé... mas assim, não me incomodou muito por isso. O problema é que eu vi muita gente insinuando que eles já se relacionavam "romanticamente" desde que o garoto era pequeno. Mas se for reparar na personalidade do Haru, você vê que ele é amoroso demais com os seus irmãos, é um adulto muito carente e carinhoso, e nem por isso ele está se relacionando com seus irmãos de sangue. Acredito que, inicialmente, era esse mesmo carinho que ele passou a sentir pelo seu irmão adotivo (pseudo incesto) e depois evoluiu para um amor de casal. O que incomoda, de verdade, é que Ren não é tão novo assim, mas seus traços são bastante infantis comparado ao Haru e essa diferença visual incomoda.



A primeira razão de eu escolher este anime foi pelos traços, o Haru é muito, muito lindo e o Ren é muito fofo. A segunda razão, não existe, foi só pelo visual mesmo, sou dessas - HAHAHA. Eu gostei bastante da história e da animação, é muito divertida, você ri e se apaixona pelo jeito fofo do Ren. Vejo muito amor e ódio sobre este anime, e a verdade é que ele é muito fofinho. Se não fosse toda essa problematização de ser irmão adotivo e ser mais novo, seria perfeitinho. O fato de serem dois homens não é problema, ok? ok!


Eu nem ia falar nada sobre Super Lovers, mas decidi me arriscar, pois vai ter segunda temporada e já tem muito amor & ódio rolando na internet por causa disso. Mas opinião é isso, você não é obrigado a gostar, mas não precisa ofender só porque não é do seu agrado.


E o que vocês acham? Muito tenso ou dá para ver de boa? 
Se já assistiu, o que achou? Comentem! 

Você pode gostar também

6 comentários

  1. Eu não conhecia esse gênero no mundo dos animes (e mangás). Olhando as imagens pensei que fosse só fofinho, mas olha falou em perversão o interesse aumenta cof cof hahahaha

    ResponderExcluir
  2. Hoe, Mari! Tudo bom? :3

    Super Lovers é bem complicadinho mesmo pelos traços, mas acho que quem faz o bafafá de verdade é apenas quem não conhece a história e essas premissas básicas: Haru não se apaixonou por Ren quando criança, apenas achava fascinante toda a situação do garoto e a sua pureza para com o mundo; Haru só se apaixona mesmo, como você falou, quando Ren já está na idade colegial - algo, pelo visto, mais "aceitável" nos estandartes japoneses.

    Não sei se a aparência do Ren foi uma decisão muito acertada da autora, porque ela precisa ressaltar e brincar que ele é baixinho ou de estatura muito inferior a sua idade em várias passagens; até aquele amigo na classe serve também para dar uma noção da estatura média que meninos na idade do Ren "deveriam" ter... Meio chato ter de justificar isso tantas vezes, mesmo que sutilmente. :/

    Eu realmente estava temerosa quando anunciaram o anime, porque considero os traços da Abe-sensei, embora bonitos, meio "estáticos" e não tinha ideia se a produção faria algo assim também. Felizmente, conseguiram dar um ar gracioso e fluído a todos os personagens e eu estou mais feliz com o anime do que com o mangá, huahuahua!

    Esse é seu primeiro yaoi, Mari-chan? De lá para cá, já assistiu outros? :)

    Beijos, flor~

    ResponderExcluir
  3. Eu amo yaoi, mas a aparência infantilizada me incomoda um pouco também.
    Achei o traço lindíssimo e achei interessante a ideia de ser um rapaz selvagem!
    O primeiro yaoi a gente nunca esquece huahua

    Com amor,
    Bruna Morgan

    ResponderExcluir
  4. Uou, foi meu primeiro shounen-ai também, e único, já que só resolvi assistir por causa da sua postagem, madruguei um pouco assistindo ahuasuhas, a ideia de um garoto selvagem me interessou -n Embora não seja fã de Yaoi, gostei da forma como desenvolveram o romance, não foi "apressado" ao meu ver, o que me agradou, já que muitos shoujos me passaram essa sensação (e eu quase morri com a fofura do Ren aaaaaa).
    Tenho que dizer que o traço infantilizado do Ren e a diferença de idade me incomodaram, mas não vejo motivo para tanto auê também, já que fica claro que os sentimentos românticos, por parte do Haru, só são desenvolvidos depois que o Ren vai morar com ele no Japão. Embora eu realmente ache estranho ele considerar normal beijar um irmão daquele jeito kkkk (no início, porque depois ficam salientes demais para serem inocentes aushasu)
    Adorei a resenha ♥

    Perdida em (M)arte

    ResponderExcluir
  5. Oie <3
    Olha, eu entendo a problematização até porque sou dessas que problematiza. Mas aí, passo longe de anime e mangá com muita diferença de idade entre os casais protagonistas. Mas é aquela coisa: se um tem 10 e o outro 20 é um problema, mas se é 30 e 40 tá ok. Então eu entendo a problematização da pedofilia, que é séria e necessária, mas acho que ela deve vir no sentido de: olha, nesse contexto da história a gente pode relevar, mas na vida real não pode acontecer. Sei lá, acho muito complicado e no fim eu só prefiro não ler nada nesse estilo. Acho que destilar ódio numa série a não ser que ela seja literalmente apologia a algo que vai contra os direitos humanos é um pouco desnecessário também. Enfim né?
    O traço é bonito mesmo, então entendo totalmente seu interesse! Não costumo assistir yaoi, mas já li alguns mangás e adoro fanfics, HAHAHAHA! No fim é só mais um tipo de romance, né? Com suas características próprias, claro.

    Respondendo seu comment, eu acho que a não ser que você não tenha público pro seu blog, é ok não variar demais o conteúdo. Na pior das hipóteses, acho que memes literários ou musicais podem ajudar a dar aquela variada, hahaha! Mas se você tá na vibe de ler mangás e ver animes e falar disso, acho perfeito <3 continue, hahaha!

    Beijo! :*

    ResponderExcluir
  6. Acho que eu não assisto Yaoi um trilhão de séculos, e acho que era bem mais problemático na época hahaha
    Mas sério, você me deixou com vontade de ver basicamente pelo mesmo motivo que você assistiu ESSE TRAÇO É FOFO DEMAIS!!! Tão fofo que merece uma chance ahahaha e o Haru parece bem sexy :P

    Beijos!

    ResponderExcluir

Mais acessados

Curta no Facebook

Twitter