Conto: Voltando pra casa

08:00


Coço os olhos cansada, me espreguiço e desligo o computador. Meus olhos já não enxergavam o que estava aparecendo na tela.

Mais um dia em que passo dos limites. Tenho essa mania besta de querer terminar logo as coisas que me desagradam pra não vê-las mais na minha frente. O problema é que a maior parte do que eu fazia estava me enchendo o saco, o que me deixava exausta.

Pego minhas coisas e vou embora sem me despedir. As pessoas já não ligam mais, até desistiram de fofocar a meu respeito. Pra eles não tem graça quando o alvo não reage. De vez em quando recebo uns olhares de pena e ouço uns cochichos pelos cantos: “Coitada, parece um robô”, “Ela não fala?”, “Ela não sorri?”. Eu não me importo.

Eu só faço o que tenho que fazer e vou embora. Qual o sentido da vida? E toda essa bobagem existencial, qual significado disso tudo? Sou uma existência vazia, concluo.

Chego em casa. Está frio, uma casa vazia é sempre assim tão gelada? Eu só quero dormir, não há nada mais para se fazer.

Ao abrir a porta do quarto, uma surpresa que aqueceu meu peito. Uma gatinha dormindo no pé da cama. Devia ter entrado pela janela que esqueci aberta, tão lindinha. Chego perto, ela se assusta e vai para debaixo da cama.

Me abaixo para tentar pegá-la. Ela corre. E eu corro atrás.

Depois de um tempo desisto, ela faz o que bem entender. Sento no chão da sala e ligo a televisão, nada de bom está passando. Adormeci ali mesmo. Os sonhos me atormentam, sinto que estou congelando e sofro sozinha.


Acordo com lágrimas escorrendo pelo rosto e, apesar do frio por estar no chão, uma parte de mim estava aquecida. Era a pequena gatinha dormindo no meu colo, sua respiração leve e o ronronar me acalmaram. Acariciei seu pelo macio e me senti feliz por tê-la ali comigo.

Você pode gostar também

2 comentários

  1. Me identifiquei bastante com esse texto... a primeira parte é a minha descrição no trabalho (exceto a parte de terminar as tarefas logo, porque infelizmente eu procrastino bastante :/). Queria tanto chegar em casa e encontrar um gatinho! Mas não posso reclamar, porque a coisinha preta que me aguarda é um cachorro igualmente carinhoso <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah! Mas é tão antidepressivo quanto gato. Até porque, cachorrinhos são tão alegres que contagia ♥

      Excluir

Mais acessados

Curta no Facebook

Twitter

//]]>